Apresentação


Agrupadas no centro do país, estas 27 aldeias dispersam-se por 16 concelhos entre Castelo Branco e Coimbra.

vista para o Talasnal

Outrora região esquecida, pobre e isolada viu no princípio da década de 2000 o início de um programa (com fundos comunitários) de revitalização da região ao nível de aldeias, praias fluviais e trilhos pedestres.

As Aldeias do Xisto estão distribuídas em quatro grandes grupos segundo a sua localização geográfica.

Grande parte das aldeias apresentam um traçado típico de povoamento serrano com casas agregadas pela encosta, protegidas de ventos dominantes. Os materiais de construção utilizados são aqueles que a Serra proporciona nomeadamente a madeira, o quartzito e o xisto. As paredes estão fortemente isoladas sendo compostas por duas camadas com a exterior a receber pedras maiores e, a de interior pedras mais pequenas. Os telhados normalmente de lousa chegam a ter quatro graus de inclinação, e têm uma ou duas águas.

loja das aldeias do xisto - Água Formosa

O xisto (ou lousa) caracteriza-se por ser uma rocha muito laminada. Forma-se pela metamorfose da argila (por acção da pressão e temperatura), transformando-se em ardósia e depois xisto.

De notar que a designação é: "Aldeias DO Xisto" e não "DE Xisto"... Embora a maioria das edificações seja construída com xisto nem todas o são e algumas, mesmo foram entretanto, rebocadas a cimento. A origem do nome vem da predominância do xisto na região e não da tipologia das aldeias.

video da nossa voltinha pelas Aldeias do Xisto

27 localizações não serão fáceis de incorporar num percurso, pelo que o roteiro que aqui se oferece propõe uma selecção equilibrada para um formato de um a quatro dias.

Para além disso, existem outras aldeias de grande interesse que não se encontram na rede e que aqui se incluem também no roteiro.

No formato de um dia sugere-se uma de duas opções:

Grupo Serra da Lousã:

Casal Novo Talasnal Candal Cerdeira Comareira Aigra Nova Pena.

Grupo Serra do Açor:

Benfeita Vila Cova de Alva Avô Aldeia das Dez Piódão Sobral de São Miguel.

O roteiro de dois dias permitirá visitar os dois grupos acima, um num dia outro no outro.

quelhas - Sobral de São Miguel

Para uma estadia de três a quatro dias pela região será possível estender a selecção da seguinte forma:

Grupo Serra da Lousã:

Casal de São Simão Talasnal Casal Novo Cerdeira Candal Comareira Aigra Nova Pena.

Grupo Serra do Açor:

Coja Benfeita Vila Cova de Alva Avô Aldeia das Dez Piódão Sobral de São Miguel.

Grupo Zêzere:

Fajão Ponte de Fajão Janeiro de Baixo Janeiro de Cima.

Grupo Tejo/Ocreza:

Água Formosa.

Recomenda-se utilizar o itinerário disponibilizado na página do roteiro que inclui outros pontos de interesse no caminho, bem como outros adicionais que asseguram o caminho por estrada asfaltada.
A maioria do traçado é de bom piso estando devidamente marcado, no entanto o acesso a algumas aldeias é por vezes feito em estradas em más condições de asfalto, largura e segurança (sem protecções de rail) pelo que requer circular com alguma cautela.
Existem várias ligações entre as aldeias por estradas não asfaltadas que deverão ser evitadas (ou não, dependendo do veículo que se leve).

Ponte de Fajão

A região possuí inúmeros cursos de água mas também um clima de extremos (muito frio de Inverno e muito quente de Verão) pelo que se recomenda a visita durante o início da Primavera, quando as ribeiras e rios estão cheios e a vegetação luxuriante.
No Verão também é possível fazer o percurso em formato mais curto e privilegiando as visitas às várias praias fluviais existentes

Mensagens:



Deixe-nos a sua mensagem