Apresentação


Trata-se de um fantástico roteiro em redor de Bragança pela região de Trás-os-Montes no extremo Nordeste do país.

O itinerário base não é nosso, inspirámo-nos no belíssimo roteiro promovido pela Associação de Municípios da Terra Fria do Nordeste Transmontano que resolvemos percorrer.

A Rota da Terra Fria conta com um excelente website (e respectiva aplicação) que disponibiliza toda a informação o qual recomendamos consultar.

O roteiro é extenso com muitas sugestões, estradas e lugares.

Na nossa análise o percurso vale sobretudo pela estrada, algumas com paisagens serranas deslumbrantes, outras de condução desafiante, e muitas vezes ambas. Os locais são muitos e dividem-se essencialmente entre aldeias, santuários e alguns castelos .A elevada quantidade não permite que todos se destaquem pois vários acabam por ser mais uma aldeia rústica ou mais uma igreja de interesse está certo, mas similares a outros tantos por onde já se passou.

Assim a sugestão de itinerário que oferecemos segue o percurso base oficial com os ajustes que achámos necessários, destacando os pontos mais bonitos e interessantes segundo a nossa percepção. Algumas aldeias são verdadeiras pérolas escondidas, quer pela sua beleza rústica e genuína ou por nos surpreender apresentando do nada lindíssimas igrejas de matriz românica.

careto de Salsas

A rota é circular e na nossa proposta inicia na bela vila de Mogadouro nos limites do Parque Natural do Douro Internacional. O percurso pode ser feito num sentido ou noutro, sendo que sugerimos que o façam no sentido contrário aos ponteiros do relógio.

Desta forma a subida até Bragança faz-se junto à fronteira, passando por Miranda do Douro e Vimioso até ao ponto mais alto da belíssima e peculiar aldeia de Rio de Onor divida entre Portugal e Espanha.

Depois desce-se até a encantadora aldeia de Gimonde e prossegue-se para Oeste por maravilhosas estradas até encontrar o Rio Rabaçal. A partir daí a rota segue descendente de regresso a Mogadouro, passando por vários locais de interesse como Vinhais, Izeda, Salsas e Algoso.

Igreja Matriz de Izeda

O percurso de ponta a ponta requer um mínimo de dois dias, sendo o ideal três.

Pode ser realizado desde a Primavera ao Outono, mas recomenda-se que se evite os meses mais quentes onde as temperaturas por aqui podem alcançar valores altos. Durante o Inverno as estradas tornam-se intransitáveis com gelo e neve



Deixe-nos a sua mensagem